A PALAVRA DO PAPA
Qui, 15 de Setembro de 2016 22:25

altVATICANO (ACI).-Numa recente catequese das quartas feiras o Papa Francisco comentou a seguinte passagem do Evangelho: “Vinde a mim vós todos que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”: “Às vezes nosso cansaço é causado porque colocamos a confiança em coisas que não são essenciais...”, disse o Santo Padre. “O Senhor nos ensina a não ter medo de segui-lo, porque a esperança que colocamos nele não será frustrada”... Em seguida fez um apelo especial para não perdermos a esperança: “Não deixemos que nos tirem a alegria de ser discípulos do Senhor. Não deixemos que nos roubem a esperança de viver esta vida com Ele e com a força da sua consolação”...É especialmente para os pobres que Jesus faz este apelo: “para aqueles que se sentem cansados e oprimidos”. “Eles podem confiar só em Deus. Conscientes da própria humildade e condição, sabem depender da misericórdia do Senhor, esperando nele a única ajuda possível”. Muitos peregrinos que passam pela Porta da Misericórdia, recordou o Papa“ encontram Jesus, expressam a conversão do discípulo que se põe no seguimento de Jesus, e a descoberta da misericórdia do Senhor, infinita e inesgotável”.

O Papa também comentou as palavras “tomai o meu jugo”,  i.é, Jesus quer que seus discípulos entrem em comunhão com Ele, tornem-se participantes do mistério de sua cruz e de seu destino de salvação. “É um vínculo que une o povo a Deus. O jugo que carregam os pobres e os oprimidos é o mesmo que carregou Cristo antes deles; e por isso, é um jugo leve”.

Jesus também lhes pede “aprendei de mim” feita aos humildes e pequenos, porque compreende os pobres e sofredores. Ele mesmo é pobre e provado pelas dores, tendo carregado sobre suas costas os pecados da humanidade inteira”, assinalou...Sublinhou várias vezes em sua catequese, que Jesus se referiu de modo especial aos que não tinham a quem recorrer, senão a Ele... que estava em meio às pessoas, aos pobres. Trabalhava todos os dias junto com eles. Ele não era um ‘príncipe’”. “É triste para a Igreja quando os Pastores se tornam distantes dos pobres e viram ‘príncipes’... Ao concluir, Francisco consolou os fiéis: “Para todos há momentos de cansaço e de decepção”; e recordou as palavras do Senhor que nos dão tanta consolação e nos fazem entender se colocarmos nossas forças a serviço do bem”. 

Leia mais: www.acidigital.com

 

Outros artigos