1334 - POR QUE UM FUGIA DO OUTRO?
Sex, 23 de Setembro de 2016 11:53

Numa tardezinha João voltava da cidade onde fora fazer algumas compras. Havia um trilho batido de uns dois quilometros que saía no arraial, mas nesse dia o tio João (como era conhecido), estava com muita pressa e cortou caminho, passando pela mata. De repente ele escuta um barulho de passos bem atrás dele. Por via das dúvidas ele apressou o passo. Quem vinha atrás fez a mesma coisa. Nenhum dos dois solitários pensou em perguntar “quem vem lá!” O homem da frente esticou mais o passo, e o homem de trás fez a mesma coisa. Assim, por várias vezes. Um fugia desconfiadamente do outro. O João chegou esbaforido ao povoado, quase sem poder respirar. O que aconteceu ao tio João? perguntaram todos. Nisso apareceu o outro, também com os “bofes” de fora. Os dois se reconheceram mutuamente e deram uma gargalhada de satisfação. Eram compadres, portanto, velhos conhecidos E se abraçaram de gosto.

Lição: Confiar ingenuamente, não. Desconfiar sem motivo nenhum, também não. "Sede prudentes como as serpentes e simples como as pombas (Mt 10,16).

 

 

Outros artigos

Animação

http://boletimpadrepelagio.org/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/233996o_sorriso.png http://boletimpadrepelagio.org/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/950871smpre_no_cora____o.png http://boletimpadrepelagio.org/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/382426pelagio.png http://boletimpadrepelagio.org/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/343594test1.png http://boletimpadrepelagio.org/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/384004test.png