18 - DONA MORTE, VENHA ME BUSCAR.
Ter, 13 de Dezembro de 2016 08:24

Um velhinho, magro e seco, buscava lenha diariamente no mato para fazer sua comida. Quase não conseguia pôr o feixinho nos ombros, de tão fraco e desanimado que estava. Reclamava muitas vezes da sorte:- Por que Deus não me tira deste mundo? Prefiro a morte.Um dia, mais alquebrado que nunca, ao tentar erguer o feixe, não se conteve e suspirou: - Não agüento mais. Dona Morte, venha buscar-me.//Eis que aparece a Morte chocalhando os ossos e brandindo seu alfanje. O velho se assustou tanto que deixou cair o feixe no chão: - Misericórdia, meu Deus!//- Ué! Você não me chamou?// Sim, dona Morte. Eu chamei você, mas foi para me ajudar a botar este feixe de lenha nas minhas costas.

> Palavra de Deus: Ó morte, quão amarga é tua lembrança para quem vive agarrado eu seus apegos mundanos... (Eclo 41,1).

 

Outros artigos

Animação

http://boletimpadrepelagio.org/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/233996o_sorriso.png http://boletimpadrepelagio.org/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/950871smpre_no_cora____o.png http://boletimpadrepelagio.org/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/382426pelagio.png http://boletimpadrepelagio.org/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/343594test1.png http://boletimpadrepelagio.org/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/384004test.png