88. JÁ ESTAVA COM A CORDA NO PESCOÇO
Ter, 07 de Março de 2017 13:28

  Corbiniano (+730) queria solidão. Na França, onde morava, o povo não o deixava em paz. Por isso foi a Roma pedir ao Papa um cantinho para dedicar-se somente à oração. Respondeu-lhe o Papa:- As horas que passamos servindo com amor nossos irmãos também são horas de Deus. Você não pode fugir do povo que acorre para pedir conselho e conforto. Prepare-se para receber as santas Ordens e volte para sua pátria. Deus quer você no meio do povo.//Corbiniano voltou, agora ordenado bispo. Estava chegando à sua cidade quando vê passar um cortejo sinistro. Iam levando um rapaz para a forca. Compadecido e revoltado, aproximou-se do carrasco e pediu: - Espere um pouco. Quero falar com o imperador.//Foi às pressas. A primeira palavra que dirigiu ao imperador não foi de saudação. Foi de súplica em favor do condenado. Com a ordem da anistia nas mãos, Corbiniano voltou ao local da execução. O carrasco tinha passado a corda no pescoço dos réu e aguardava.A vítima reviveu graças a esse gesto heróico de caridade.

PALAVRA DE DEUS::– Irmãos, se um de vós estiver desviado da verdade e alguém o converter... salvará sua alma da morte e apagará a multidão de seus pecados (Tg 5,16-20).

 

 

Outros artigos