124 - OS DOIS LENHADORES
Qua, 05 de Abril de 2017 14:10

Dois lenhadores pegaram uma empreitada, trabalhando de sol a sol. Com uma diferença, porém. Quincas só interrompia o serviço para comer a marmita e tomar uma caneca d’água. Alípio não se matava tanto. De hora em hora suspendia o trabalho durante alguns minutos.No final do dia, comparadas as pilhas de lenha cortada, Alípio tinha ajuntado muito mais. Quincas, o afoito e incansável lenhador, estranhou: - Ué! Você parava a cada instante. Mesmo assim fez mais do que eu, que labutei sem parar. Como se explica isso? // - Muito simples. Eu aproveitava aqueles minutos de pausa para amolar o machado e descansar um pouco. Machado afiado corta muito mais e cansa menos o braço. Quem corre, cansa; quem caminha, alcança, ué!

> Palavra de Deus: Javé não se cansa nem se afadiga; sua inteligência é insondável (Is 40,28-31).

ORAÇÃO: Senhor! Ensina-nos a trabalhar com método e ordem.- Não quero afobar-me na caminhada da vida. - Nas lidas da vida não quero perder o caminho...Para tudo peço a tua graça. Amém.

 

Outros artigos