133- GROSSERIA E PERDÃO
Dom, 16 de Abril de 2017 11:19

Grande festa de casamento na casa de dona Tita, a senhora mais rica e conceituada da região. Uma das filhas estava se casando. A mansão riquíssima e espaçosa foi pequena para acolher tantos convidados. Após a cerimônia vieram os doces com fartura.Um molecote de nove anos, descalço, maltrapilho, magro e sujo esgueirou-se no meio daquele povo bem vestido e perfumado. No momento em que se aproximava do tabuleiro para apanhar um doce, dona Tita agarrou-o brutalmente pelas orelhas e o enxotou gritando: - Moleque indecente! Ponha-se para fora. Lugar de porco é no chiqueiro.

Trinta anos depois. A família de dona Tita descambou para a pobreza. Aquele garoto de outrora, agora médico, recebeu certa manhã um chamado urgente para ir àquela casa. Entrando pela mesma porta por onde fora expulso, encontrou dona Tita estendida no leito, já inconsciente. Atendeu-a com todos os recursos disponíveis, conseguindo ligeira melhora. Levou-a para o seu hospital. Viveu ainda seis meses, entre o carinho das enfermeiras e as atenções do médico. Foi tratada por ele como se não se recordasse daquela cana desagradável da sua infância. (Do livro “A dor tem sede véus” de José Adami).

> PALAVRA DE DEUS::A quem te bater na face direita, oferece-lhe também a outra (Mt 5, 39).

ORAÇÃO: Senhor tu pediste que nos amassemos, e não, que nos amassássemos...- Queremos tratar os outros como eles são, e não como peso que devemos carregar.- Queremos, antes perdoar, do que ser perdoados...- Perdoa, Senhor, nossas ofensas, assim como perdoamos a quem nos ofendeu.

 

Outros artigos