172 - RENÚNCIA AMARGA
Dom, 28 de Maio de 2017 15:16
  1. Fazia oito anos que dona Ercília se internara no leprosário. À medida que ia melhorando, prestava serviços como enfermeira. Deixara em casa o marido e três filhos pequenos. Nunca se esqueceu deles. Escrevia regularmente, mandando também a mesada que recebia como enfermeira.Evilásio, assim chamava-se o esposo, não suportou o isolamento e arranjou outra mulher. Teve mais três filhos, mas nunca contou nada para Ercília.
  2. Os anos passaram e ela curou-se. Podia voltar, rever o marido e os filhos, dos quais sentia imensa saudade. Ao aproximar-se da casa, avistou outra mulher lavando roupa no quintal. Viu seus filhos, agora crescidos, no meio das outras crianças, e teve um pressentimento fatal. Não sentiu ódio e nem revolta. Mas um terrível choque. Uma tremenda desilusão. O marido tentou desculpar-se:
  3. - Perdoe-me, Ercília. Pensei que você não voltaria mais. Aceito qualquer condenação. Mas perdoe-me.
  4. - Quero apenas ver meus filhos. Não lhes diga que sou sua mãe.
  5. Abraçou-os demoradamente. Abraçou também os filhos da outra. Abraçou até sua rival. Abraçou o marido. Depois pegou sua mala e tomou o caminho de volta para o leprosário. Continuaria como enfermeira daqueles sofredores. Fazendo o bem, esqueceu o mal e encontrou alívio para sua dor. (Do livro “a dor tem sete véus”)

Oração da Bíblia: Aos casados ordeno, não eu mas o Senhor, que a mulher não se separe do marido...e o marido não se divorcie da sua esposa (1 Cor 7,10-11)

ORAÇÃO: Senhor, que os casais nunca se esqueçam do que prometeram aos pés do altar: Eu te prometo ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, em todos os dias da minha vida. Amém.

 

Outros artigos