214 - NINGUÉM ESTÁ PERDIDO
Qui, 06 de Julho de 2017 03:17
  1. Roberto e Mary estavam assentados na praia e conversavam desolados: Ele foi dispensado do trabalho e ela estava com o pai gravemente enfermo, exigindo sua presença por prazo indefinido. Tudo isso obrigava a adiar o casamento:- Mary, não vejo nenhuma luz nesse nevoeiro. Não posso ajudá-la, e nem você a mim.
  2. Ambos olhavam pensativos para o mar. Súbito Mary avistou um corpo de mulher balançando sobre as ondas, já perto da praia. Correram para salvá-la, mas ela resistiu. Parecia não estar querendo socorro. Por fim rendeu-se e foi carregada até a areia. Perto havia uma barraquinha de salgados e um telefone público. Pediram socorro. A ambulância chegou logo e levou a vítima para o hospital.
  3.  
  4. Dois dias depois receberam um bilhete: “Pensei que estava perdida. O mundo era escuro e eu sentia medo. Por isso me desesperei. Mas Deus mostrou-me que eu não estava só... Nunca mais me julgarei desamparada. Sei agora que a presença de Deus ilumina os lugares mais escuros e mais solitários... Agradeço-lhes e agradeço a Deus que, através  de vocês, me fez nascer para uma nova vida. - Judite”.
  5. Foi uma lição para aqueles noivos, também a caminho do desespero! Reagiram contra o desânimo e tudo mudou. O pai de Mary melhorou e Roberto encontrou outro campo de trabalho. O resto a gente pode imaginar. Até parece conto de fada: Casaram-se e foram felizes.

 

> > Oração:O Senhor é meu Pastor, nada me falará. Ainda que eu ande na sombra da morte, não temerei mal algum porque está comigo. Tua vara e teu cajado me confortam (Sl 22,1-4)

 

Outros artigos