238 - PALAVRA DE HONRA
Ter, 01 de Agosto de 2017 14:00
  1. Foi na revolução mexicana contra a ditadura de Antônio Lopez. O coronel Anjou, um dos revolucionários, foi preso e condenado à morte. Nove horas antes do fuzilamento foi-lhe perguntado se tinha alguma desejo.- Sim, eu desejaria despedir-me da esposa que está doente. Agora são 9 horas da noite. Minha execução está marcada para amanhã às 5 horas. Prometo que estarei de volta antes das 5:00 da madrugada.
  2. O general respondeu afirmativamente, mas queria ir junto com ele.
  3. - Não aceito companhia de ninguém. Se chegasse acompanhado, ela se assustaria.
  4. - Nesse caso preciso de uma garantia.
  5. - Que espécie de garantia pode oferecer um condenado que tem só nove horas de vida? Tenho apenas minha palavra de honra.
  6. - Bem! Vá cumprir seu dever de esposo. Eu fico com a sua palavra de honra como penhor e garantia.
  7. As portas do quartel se abriram para assombro dos guardas.Era uma noite tempestuosa. Passavam os minutos e a tempestade aumentava. O relógio da igreja começou a bater. Antes de se ouvir a terceira pancada, o coronel entrou, todo encharcado de água: - General, devolva a minha palavra de honra. Quero morrer com ela.
  8. - Deve estar bem cansado, não? Descanse um pouco
  9. .Entrementes foi até o ditador e conseguiu indulto para o condenado fiel à sua palavra.
  10. > Palavra de Deus: Seja o vosso falar “sim, sim”, “não, não” (Mt 5,37).
  11. > > Oração:Senhor, olho ao meu redor e vejo tantos males, tantos sofrimentos...Quero, contigo, ser construtor de um mundo novo...Quero, contigo, lutar contra a fome e a doença, contra a miséria e a ignorância, contra a opressão e a injustiça...
 

Outros artigos