248 - ELE SENTIA-SE INÚTIL
Qua, 09 de Agosto de 2017 11:55

João tinha 33 anos quando sofreu um pavoroso desastre de carro. Esposa e filho perderam a vida, enquanto ele ficou paraplégico. Além de paralítico, perdeu a voz. O maior sofrimento não era ficar preso numa cadeira de rodas. Sofria mais, por sentir-se inútil. Certa manhã pediu que encostassem sua cadeira junto à janela, para poder apreciar o movimento da rua. No 3° andar do prédio da frente morava dona Virgínia. Tinha acabado de colocar duas cadeiras junto à janela, sobre as quais estendeu algumas roupas de cama a fim de tomar sol. Depois se afastou, indo para a cozinha, e esquecendo as cadeiras onde colocou. Súbito apareceu sua filha de 3 anos que foi logo subindo na cadeira. Queria debruçar-se sobre a janela a fim de ver o que se passava na rua. João previu a tragédia.O que fazer para impedir a queda fatal da menina? Lá em baixo, na rua, brincavam algumas crianças. Como dar o alarme, se não podia falar? Viu a vidraça em sua frente e teve uma inspiração. Num esforço sobre-humano ergueu-se da cadeira e, apoiando os braços no parapeito da janela, golpeou a vidraça com a testa. O estrondo dos vidros estilhaçados e os cacos caídos na rua alarmaram as crianças. Viram então a menina em cima da janela prestes a cair e gritaram: “Depressa, dona Virginia!” Ela acorreu, viu o perigo num relance e agarrou a filha.No outro lado da rua um homem jazia desmaiado em sua cadeira de rodas, com a testa ensangüentada. Mas agora não se sentia mais inútil. Salvou uma criança.

> Palavra de Deus: Ao chegar perto da figueira para colher figos, Jesus não encontrou senão folhas. Chamou-a de estéril (Mc 11,12-13).

> Oração:Senhor, estou neste mundo para dar frutos. Não quero ser o peso, mas a alavanca que levanta o peso. Não quero produzir limão azedo, quando fui criado para dar laranja doce. Amem.

 

Outros artigos