252 - UM ANJO ESCREVIA ENQUANTO OS MONGES REZAVAM
Seg, 14 de Agosto de 2017 17:25

Quando o sino do mosteiro tocou de madrugada, os monges deixaram suas celas e dirigiram-se para a igreja a fim de cantar as “Matinas”. A grande nave, fracamente iluminada pelos andelabros, estava silenciosa. Os religiosos, um a um, foram tomando seus lugares.O Abade Bernardo deu inicio ao canto dos Salmos. As vozes ecoavam compassadamente pelas arcadas do templo. De repente, ao repassar os olhos pelos bancos, viu atrás de cada monge um anjo que escrevia num grande livro. Reparou bem:- Um escrevia com tinta dourada e brilhante. Outro escrevia com tinta prateada. Um terceiro, com tinta preta. Outro, até com água; e outro ainda estava com a caneta no ar, parado. São Bernardo pediu a Deus que lhe desvendasse o sentido dessa visão.

Era assim: - A escrita com tinta de ouro ou prata, significava que a oração foi feita com muito ou bastante fervor. Com tinta preta, a oração mais ou menos. Com tinta, oração feita mecanicamente, só com a boca. O anjo parado, era porque o monge estava dormindo ou cochilando.No dia seguinte, Bernardo contou a visão aos monges. Cada um abaixou a cabeça e fez seu exame de consciência.

> Palavra de Deus: Jesus foi à montanha e passou a noite inteira em oração (Lc 6,12).

> > Oração:Senhor, ensina-nos a orar como tu oravas, como tua Mãe orava...

 

Outros artigos