299 - O SEGUNDO E ULTIMO CIGARRO
Qui, 31 de Agosto de 2017 17:26

Assim contou um rapaz: quando era criança, no meio de colegas, quería imitar os grandes em tudo. Na maneira de acender, de pôr na boca, de tragar o cigarro, etc. Este primeiro cigarro teve o sabor gostoso das coisas proibidas.O segundo teve o gosto amargo do castigo e do “nunca mais”. Chegando à minha casa, mamãe percebeu que eu tinha fumado. Disse apenas que iríamos conversar com o pai quando voltasse do serviço. Eu aguardava temeroso. Logo ao chegar, inteirou-se do acontecido e me chamou. Eu tremia de medo. Começou calmamente:- Gostei ao saber que você já sabe fumar. Assim terei um companheiro. Experimente fumar do meu maço. Tire um. / Eu hesitei. Ele insistiu. Desconfiado e sem atinar com o que poderia acontecer, peguei o cigarro. Ele o acendeu pessoalmente. Tirei a primeira tragada. Era forte, sem filtro. Tirei a segunda e bastou. Era horrível. Comecei a tossir e a ter ânsia de vômito. A fumaça enchia o recinto, deixando-me tonto. Mas consegui balbuciar: - Papai, não vou fumar mais. Sinto-me mal. Estou com vergonha.Estou arrependido. / - Então jogue fora o resto. Se um dia quiser fumar de novo, não o faça escondido. Venha fumar comigo.

Este foi o segundo e último cigarro da minha vida. Papai também deixou de fumar. Não duvido que o fez por dois motivos: Para seu próprio bem, e para dar-me o exemplo.

> Palavra de Deus: Caríssimo, não imites o mal, mas o bem. Quem faz o bem, é de Deus. Quem faz o mal, não viu a Deus (3Jo 11).

> > Oração:Senhor, olha mais para nossa boa vontade do que para os nossos pecados. - Que os pecadores arrependidos tornem-se testemunhas da tua misericórdia... - Que as vítimas do sexo, das drogas e de todas as dependências, sejam libertados com o próprio esforço e o teu auxílio... - Que a gente encontre o caminho do sacramento da reconciliação, onde tu esperas com a tua misericórdia.

 

Outros artigos