366 - É BOM SENTIR-SE ACOLHIDO
Qui, 23 de Novembro de 2017 04:09

 Uma senhora foi passar uma temporada na China. Houve momentos em que se sentiu sozinha num país totalmente desconhecido e de costumes estranhos.Certa tarde, quando mais isolada e triste se achava, o dono da casa onde se hospedava trouxe-lhe um presente. Era uma grande moeda de cobre chinesa, bem trabalhada, com um furo no meio. Desse furo saíam muitas fitas de lã, de cores variegadas, formando uma trança. Ele explicou:— Algumas destas fitas são minhas, outras são da minha esposa ou de outros membros da família. Cada fita significa uma hora de felicidade em nossa vida. Cada um pode dispor delas a seu bel-prazer, mesmo em favor de outros. Depois, voltando-se para os que estavam na sala:

— Vocês querem renunciar a uma hora de felicidade?

Todos concordaram. Em seguida cada um tirou uma fita do "buquê" oferecendo-a para a hóspede. Com esse gesto simbólico, estavam oferecendo uma hora de felicidade para aquela hóspede. Estavam doando uma parte da sua própria vida.Era, sem dúvida, um gesto simbólico, mas tinha um sentido profundo de partilha e amizade. Jamais ela recebeu, assim confessou mais tarde, presente tão significativo. Desse dia em diante sentiu-se em casa no meio do povo chinês. Aquelas fitas acompanharam-na durante muito tempo, até encontrar alguém que estivesse em piores condições. Então passou-as para essa pessoa, dando ao gesto o mesmo sentido de solidariedade.

> Para refletir: — Viver sozinho não é o pior. O mais triste é sentir-se sozinho no meio dos outros.

 

Outros artigos