JEITO ORIGINAL DE SE COMUNICAR
Qui, 23 de Novembro de 2017 14:09

Numa casa de recolhimento para idosos e de inválidos vivia um velhinho, de olhos vivos e comunicativos. Tinha uma conversa muito envolvente. Onde aprendera a se comunicar? Ele mesmo contou: Por questões que não vêm ao caso agora, fui preso e confinado numa cadeia do interior. Senti a humilhação, o abandono, a tristeza e o desânimo. Não tinha ânimo nem para pedir a Deus um socorro.

Um dia, alongando a vista através das grades, avistei um padre no pátio da casa paroquial que rezava ou lia um livro. Tive então um palpite curioso: Rezar junto com aquele padre. Não importava saber que oração ele fazia. Bastava unir-me aos lábios dele. Numa palavra, sintonizar-me com ele e com o que estava pedindo nas suas preces. E Deus faria valer também para mim, a oração feita por ele. Num ato de vontade, estabeleci uma ligação spiritual com o padre. Joguei uma ponte entre mim e ele. O resultado foi maravilhoso. Eu me senti confortado e fortalecido. Mais tarde constatei, através de experiências semelhantes, que a gente pode ligar-se também ao pensamento daqueles que estão longe de nós.  As experiências do bom velho foram mais longe. Conseguiu sintonizar-se com animais e com suas boas qualidades. Por exemplo, com a fidelidade e vigilância atenta do cachorro, com a vivacidade do macaco, e assim por diante. Um gaiato que acompanhava a conversa, deu uma de engraçadinho: - Também com a burrice do asno?...- Sim, respondeu o velho sem perder a serenidade, caso a gente não seja mais burro do que ele.

 

Outros artigos