373 - O CRUCIFIXO E O LADRÃO
Qua, 29 de Novembro de 2017 09:31


Quem visita a antiga igreja catedral de Wuerzburg na Alemanha, se detém maravilhado diante de um grande crucifixo. Sua celebridade está na posição dos braços e das mãos. O divino crucificado está com as mãos arrancadas da cruz, e as mantém sobre o peito, na posição de quem abraça. As gotas de sangue na coroa de espinhos são pedras de rubi.A imaginação popular teceu uma lenda ao redor desse crucifixo singular: Conta-se que um ladrão entrou à noite na igreja para roubar as pérolas da coroa. Subiu na cruz e atracou-se com o próprio crucificado para alcançar a coroa. Nesse momento Jesus soltou os braços da cruz e abraçou o ladrão, apertando-o contra o peito. Era um gesto de censura e ao mesmo tempo de misericórdia. Amanheceu assim, abraçado coração a coração, sem poder desvencilhar-se de quem queria desviá-lo de um crime sacrílego.Quando o sacristão chegou de manhã e viu aquela cena inédita, assustou-se deveras. Refeito do susto, ajudou o criminoso a soltar-se dos braços do Crucificado. Os cabelos do sacílego arrependido haviam embranquecido.

> Para refletir: Esta cena revela até onde vai a misericórdia e o perdão de Jesus.

 

Outros artigos