376 - UM BISPO QUE NÃO QUERIA SER BISPO
Seg, 04 de Dezembro de 2017 00:00

altNa história da Igreja nunca houve tanta luta para recusar um bispado, como aconteceu com Santo Afonso. A Santa Sé mandava cartas pedindo que aceitasse, mas ele respondia suplicando que o dispensassem dessa enorme responsabilidade.Numa dessas cartas, o humilde missionário enumerou os motivos pelos quais não podia aceitar, tirou cópias e mandou para vários amigos influentes, pedindo que intercedessem por ele. Essa atitude causava tanto mais estranheza quando se sabia como eram desejados e disputados tais títulos e munificências naquele conturbado século XVIII. Após ter feito a própria defesa, no que gastou alguns ducados com selos e gorjetas, dizia gracejando aos seus confrades: — Dessa fiquei livre. Mas perdi algumas horas e quatro ducados por causa dessa "fria" em que me puseram. Espero que agora me deixem em paz. Não! Eu não troco minha Congregação por nenhum reino do mundo. No seu íntimo, porém, pairava uma dúvida: E se o Papa não aceitasse a sua defesa?!...O Papa Clemente Xlll leu a carta e deu razão ao P. Afonso. Realmente, confiar tarefa tão pesada a um homem de 65 anos, cheio de doenças e achaques, sobrecarregado de outros encargos na Ordem Religiosa que fundou... era exigir demais. Disse ao seu Secretário Cardeal Negroni:— Deixemos o P. Afonso de Ligório onde ele está. Com ele não se fala mais em bispado.Mas o papa Clemente, impelido pelo Espírito Santo, fez a última tentativa. Afonso se dobrou. Seria demais insistir com a voz de Deus que falava pelo Papa. E foi um dos bispados mais fecundos na História dos papas.

> Para refletir: — Este fato é uma ducha fria em quem ambiciona cargos e honrarias. Por outro lado, é preciso colocar a serviço da comunidade os dons que recebemos.

 

Outros artigos