O MANTO DE ESTRELAS
Ter, 26 de Dezembro de 2017 03:56

Era uma vez uma órfãzinha que ficou sem ninguém e sem nada no mundo. Com um vestido ralo no corpo e um pedaço de pão na sacola, saiu caminhando à procura de amparo, apoiada apenas na mão de Deus.Era Natal. Fazia muito frio. O vento gelado açoitava-lhe o rostinho magro.  Ao encontrar no caminho outra criança tiritando de frio, deu-lhe parte do seu vestido.Ia escurecendo quando chegou a uma floresta. Dormiria ali mesmo, debaixo de uma árvore. Quando procurava um jeito para se aninhar, eis que aparece outra criança, mais desprotegida do que ela. Pensou consigo: Nesta mata e nesta noite escura, tanto faz estar vestida ou não.  Esta criança está com mais frio do que eu. Vou dar-lhe o outro pedaço do meu vestido.Assim fez. Nisto caiu do céu uma chuva de estrelas. Mãos invisíveis e caridosas, talvez os anjos de Belém, teceram um manto com as estrelas e cobriram a menina. Assim ela dormiu quentinha. Assim foi recompensada sua generosidade heróica.

 

Outros artigos