A CRIANÇA MORREU DE TANTO CHORAR
Sáb, 13 de Janeiro de 2018 10:01

A biografia do bem-aventurado Pedro Donders (I809-1887) é cheia de heroísmos. Trabalhou 49 anos entre leprosos, indígenas e escravos no conturbado Suriname quando era colônia da Holanda, merecendo o cognome de “apostolo do Suriname”. Das muitas cenas dolorosas que vivenciou, narremos uma das mais chocantes: Certo dia a patroa de uma escrava desencadeou sobre ela toda a sua fúria por causa de uma coisa sem importância.  Chamou a policia e mandou açoitá-la até o sangue. Para torturá-la ainda mais, mandou prender seu bebê numa jaula ou gaiola. A criança, vendo-se presa, chorou quase a noite toda até mudar o choro em gemidos doloridos, entrecortados de soluços que foram se enfraquecendo até morrer de tanto chorar e gemer. Tudo silenciou. A mãe pensou que o menino tinha adormecido. Foi vê-lo de manhã. Mas o encontrou morto e já roído pelos ratos.  Assim eram os patrões e seus escravos que Pedro visitava cada dia. Outro padre descreve os europeus, dominadores da colônia,  como “Herodes” e como “tigres e lobos que têm por Deus a carne e o ouro”.

Lição: Quantas vítimas da tortura ontem e hoje! Quantas criancinhas torturadas e mortas em seu nascedouro! Crimes que bradam até o céu. Respeitemos a vida desses inocentinhos indefesos.

 

Outros artigos