458 - QUANDO O “NÃO” TIROU FOLGA
Ter, 16 de Janeiro de 2018 04:23

O “não” resolveu tirar um dia de folga e sair da cidade. Realmente era um sujeitinho, isto é, uma palavrinha curta, seca e antipática. Mas...ausentar-se por quê? Estava sendo usado e abusado. Andava de boca em boca, nas casas, nas ruas e até nas comunidades. Quer comprar verduras? Hoje não! / Quer ajudar-me a lavar a louça? / Quer ir à igreja comigo? Não! Vou pra fazenda. / Quer ajudar a limpar a igreja? Agora não posso. Mamãe, posso brincar no quintal? Não! Vai-se sujar. / Quer fazer-me uma caridade? Agora não! Sempre não. Por isso o “não” foi descansar fora.

No dia seguinte tudo mudou, todos diziam sim a tudo e a todos que pediam alguma coisa. O verdureiro vendeu tudo e ainda faltou. A cozinha virou um brinco de limpeza. A igreja, toda limpinha, lotou de fiéis. O pobre encheu a sacola e os bolsos. A criança ficou mais alegre e feliz. A cidade ficou um paraíso.É pena que esse paraíso durou somente um dia.Todos viram que o mundo só será melhor se todos usarem mais o “sim” do acolhimento e da disponibilidade do que o “não” repulsivo e repelente.

> Ouvindo a Palavra: O Filho de Deus, Jesus Cristo, que nós, Silvano, Timóteo e eu, vos anunciamos, não foi “sim” e depois “não”, mas sempre foi sim. Porque todas as promessas de Deus são “sim” em Jesus... (2Cor 1,19-20).

 

Outros artigos