477 - SOLIDARIEDADE INFANTIL
Seg, 29 de Janeiro de 2018 13:42

Começou a missa da Primeira Comunhão numa capelinha da África. As crianças estão vestidas com um uniforme singelo, mas limpo, e calçam sapatinhos ou sandálias. Seguram a vela enlaçada com a fita branca e olham atentamente para o desenrolar das cerimônias no altar. Chegou a hora da Comunhão. Todas se alinharam na direção do altar. Só então repararam que, no fim da fila, havia uma menina descalça. Provavelmente seus pais não tiveram dinheiro para comprar nem sequer um par de sandálias.Movida por um sentimento espontâneo de solidariedade, a menina que estava ao seu lado tirou seu sapatinho. Instintivamente todas as crianças fizeram o mesmo e foram comungar de pés no chão.Não queriam que sua coleguinha se sentisse inferior.

Ouvindo a Palavra: Como o Pai me ama, assim também eu vos amo. Permanecei no meu amor. Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor... (Jo 15,9-10).

Falando com Deus:Perdoa-me, Senhor, porque: — Vou à favela e amasso o barro de suas ruas. Mas posso voltar para o asfalto. Eles não.— Suporto o mau cheiro dos seus esgotos. Mas depois passo desodorante. Eles não.— Posso acender a luz elétrica quando volto. Eles não. — Posso fazer greve de fome. Eles não. Como fazer greve de fome se não têm o que comer?— Ensino que “não só de pão vive o homem”, mas nunca me falta o pão. Para eles, sim.Senhor, quero morrer por eles. Mas enquanto isso não acontece, ajuda-me a viver para eles.

 

Outros artigos