489 - ACHEI A SUA LÍNGUA
Dom, 11 de Fevereiro de 2018 19:44

Era uma vez um casal que há vários dias não se conversava. Qual o motivo? Não sei. Nem eles sabiam mais. O certo é que foi por um motivo fútil.Durante a semana foi fácil se esconder um do outro. Ele saía cedinho para o trabalho e só voltava à noite. Mas chegou domingo. Nenhum plano de saída. Na parte da manhã cada qual procurou uma igreja ou capela onde cumprir o preceito. Mas não estavam satisfeitos com esse silêncio forçado.Veio a tarde monótona. De repente o marido inventou de procurar alguma coisa na casa. Mexia na prateleira, na gaveta da mesa, dando sempre a entender por gestos que não estava encontrando o que procurava.A esposa ficou curiosa. Agora ele foi até o armário, depois ao guarda-roupa, abriu as portas e sempre o mesmo gesto de quem não está achando.A mulher quase perguntou o que ele queria, mas segurou a língua. Por fim, quando o marido pegou um cabo de vassoura e começou a remexer em baixo da cama, ela não agüentou mais:— Homem de Deus, o que você está procurando?Voltando-se para ela, exclamou triunfante:— A sua língua, mulher. Achei finalmente a sua língua.Com essa cena cômica e bem conduzida, os dois deram uma boa gargalhada e a “vida a dois” recomeçou.

Ouvindo a Palavra:Fiquem irados, mas sem cometer pecado: que o sol não desça sobre a ira de vocês; não se deve dar chance ao diabo (Ef 4,26-27).

Falando com Deus:Dá-nos humildade para perdoar, zelo para ir ao encontro dos afastados, nobreza para valorizar o muito que nos une e menosprezar o pouco que nos divide. Amém!

 

Outros artigos