507 – A MOEDA GOTEJOU SANGUE
Qui, 22 de Fevereiro de 2018 17:29

 altOs santos foram pessoas alegres e descontraídas. Mas quando se tratava de defender os direitos de Deus e do povo, uma santa indignação tomava conta deles. Exemplos existem aos milhares. São tantos, quantos santos existem no calendário.São Francisco de Paula não perdia oportunidade para chamar a atenção do rei Fernando I, denunciando seus desmandos. O rei, por sua vez, tentava calar esta voz incômoda com agrados e presentes.Uma vez ofereceu-lhe um prato cheio de moedas de ouro para ajudar na construção de um convento de frades. Através daquele ouro, o santo parecia ouvir os gemidos do povo, esmagado pelos pesados impostos e taxas com que o rei pagava as despesas das guerras de conquista e o próprio luxo da corte real. Encarando firme o rei corrupto, disse Francisco:- Será que Deus te entregou o cetro para viveres conforme tuas paixões, como se não existisse céu nem inferno?... Que contas prestarás a Deus, de tantos soldados que tua ambição sacrificou nos campos de batalha?... Não é tudo ainda. Teus ministros vendem a justiça por dinheiro... Este ouro que me ofereces não é teu, e não te pertence, porque é o sangue de teus súditos, torturados pelos impostos exorbitantes...Enquanto assim falava, o santo pegou uma moeda, quebrou-a entre os dedos, e mostrou para o rei. Estava gotejando sangue. Ele, aterrorizado, cobriu o rosto de vergonha.

São Francisco de Paula (1416-1508) — Fundador da Ordem dos Mínimos. Combateu a injustiça e o luxo. Defendeu os pobres. Sua festa: 2 de abril.

 

Outros artigos