512. SANTA COM OS PÉS NO CHÃO
Qua, 28 de Fevereiro de 2018 20:45

 Assim foi Santa Teresa de Ávila. Viajou pela Espanha toda, a fim de fundar ou visitar os mosteiros das monjas carmelitas. As viagens daquele tempo (século XVI) eram feitas em carroções de tração animal, através de estradas lamacentas e precárias, quase intransitáveis. Outras vezes viajava em lombo de burro. Faça-se uma idéia das dificuldades que sobrevinham. Mas o espírito esportivo de Teresa era inalterável. Podia perder o burro de carga com toda a bagagem... topar com manadas de touros selvagens... extraviar-se no meio da noite escura... dormir no paiol em companhia de bichos e cobras... mas nunca perdia o bom humor e a vivacidade.

 Dotada de argúcia e clareza de idéias, jamais ficava devendo uma resposta. Seu confessor, P. Graciano, costumava dizer: "Santo Deus! Eu prefiro discutir com os teólogos do mundo inteiro do que com essa mulher".    Madre Teresa não gostava de freiras emburradas, tristonhas, rabugentas. Dizia ter mais medo de uma monja descontente e amuada do que de uma corja de demônios.

Era cozinheira de mão cheia. Quando chegava sua vez de ir para a cozinha, as Irmãs pulavam de alegria: Hoje teremos comida gostosa!     Tinha uma conversa tão agradável, que as Irmãs a seguravam quase à força em seus recreios de comunidade. Às vezes chegava a dançar ao som da castanhola que ela mesma repenicava.

 

Outros artigos