526. ESTRATAGEMA DE UM SANTO
Sáb, 17 de Março de 2018 10:47

Dom Bosco  (1815-1889) estava almoçando na casa do Barão Martin, junto com outros convidados. Durante a refeição percebeu como todos admiravam um belo jogo de talheres de prata, finamente cinzelada.Terminado o almoço. Vieram os agradecimentos e as despedidas. Mas o barão ainda não havia desembolsado a contribuição que dava habitualmente para os orfãozinhos do padre. Seria esquecimento, ou estava aguardando até que as visitas saíssem?O que fez Dom Bosco? Enquanto trocavam as últimas despedidas, aproximou-se da mesa e começou a colocar as peças de prata em sua sacola. Os visitantes observavam curiosos, para ver até onde iria esta brincadeira. Seria mais uma das mágicas do famoso pedagogo e prestidigitador?...Quando acabou de ensacar os talheres, perguntou ao Barão:— Quanto vale tudo isto?— Depende, respondeu o Barão. Se fosse novo, teria valor maior. Usado como está, vale menos, talvez algumas mil liras. — Está bem, disse Dom Bosco, como se os talheres já lhe pertencessem. Em vez de vender para gente estranha, prefiro vender para o senhor. Passe logo mil liras para cá, e o jogo é seu. Foi uma risada geral.O barão não teve outra saída, senão desembolsar as mil liras. E o fez com muita satisfação. Era para os meninos pobres, mantidos por São João Bosco.

 

Outros artigos