OS PRATOS DE CRISTO
Qua, 25 de Julho de 2018 14:07

Num bairro a 3 kms. de Ipati, num pequeno sítio, morava João Ferreira pai de numerosa família. Casal trabalhador e caridoso ao extremo. À hora do almoço Joana arrumava a mesa, colocando sempre dois pratos a mais, para algum pobre que chegasse. Eram “os pratos de Cristo” como diziam.Um dia o farmacêutico do bairro veio trazer uma triste noticia:  Morrera a viúva dona Melânia, deixando oito órfãos. Luto e tristeza na casa. João e a esposa dona Ana foram tomar providencias. Após consolar a todos, o casal resolveu pegar dois dos meninos:- Quem tem 12, pode criar mais dois – disse a esposa. E João acrescentou:- Leve a menina maior para cuidar dos dois.O vigário mandou entregar dois orfãoznhos para sua mãe, e os outros três foram logo adotados.Pouco tempo depois chegou o juiz da comarca a fim de conhecer esse casal tão prestimoso. Fez questão de pegar um dos “pratos de Cristo”. Após o almoço deixou um relógio de ouro como presente.Ao nascer Guilhermino, o 13º filho, o juiz fez questão de ser o compadre de batismo. Depois do batizado, foi com o padre vigário até a casa e mandou João assinar uns papéis. Era a escritura de dois terrenos que estava recebendo como presente e recompensa pelas suas boas obras.Dona Maria, esposa do juiz, repetiu mais uma vez:- Quem dá aos pobres empresta a Deus.\

 

Outros artigos