11 - O VENDEDOR DE CACHORRO-QUENTE
Seg, 30 de Julho de 2018 14:43

O velho Isidoro encostava todos os dias o carrinho junto à igreja para vender seus famosos sanduíches. Com as moedas que caíam na bolsa, conseguia manter a família e pagar os estudos do filho mais velho.O rapaz formou-se, e o pai continuou vendendo cachorro-quente em seu “petit dog..Um dia o filho, doutor formado, chegou-se à banquinha do pai a fim de comer um cachorro-quente. Sem pagar, é claro. Enquanto saboreava, comentava:      — Pai, a crise está feia. Procure diminuir o tamanho do pão. O pai seguiu o conselho, porque seu filho era estudado.Dias depois, saboreando (sempre de graça) mais um cachorro-quente, sugeriu:— Papai, a crise continua cada vez mais alta. Diminua também o tamanho da salsicha que põe no pão.Assim fez seu Isidoro, confiando na sabedoria do filho doutor. Não demorou uma semana e veio a terceira sugestão: — O senhor está vendo que a coisa vai de mal a pior. Experimente rarear também o molho.O pai assim fez. Mas que aconteceu? Vendendo um cachorro-quente tão resumido pelo mesmo preço, foi perdendo a freguesia e precisou vender o carrinho para pagar as dívidas.     

 

 

Outros artigos