45 - MUNHECA DE SAMAMBAIA
Qui, 25 de Outubro de 2018 21:26

   Muita gente tem mão que parece broto de samambaia. Vive com o punho fechado. Nunca se abre nem para dizer um bom-dia. Assim fiz uma vez, contou uma senhora:   — De longe avistei um rapaz deficiente pedindo esmola na rua. Preparei a moedinha para jogar na mão dele. Mas um homem que ia à frente, atendeu logo o pedinte. Imediatamente guardei o meu dinheiro pensando: Ele já ganhou. Não preciso mais dar minha ajuda. Mais na frente parei diante de uma vitrine de jóias. Gostei de um colar. Era vistoso e atraente. Não pensei duas vezes. Entrei na loja e comprei-o.   A lavadeira pediu-me um dinheiro emprestado a fim de consertar seu barraco, danificado pelas chuvas. Dei-lhe uma quantia irrisória, com a desculpa que outros iriam ajudá-la também. Poucos dias antes, tinha gasto “enorme fortuna” para trocar tapetes e cortinas da casa, despesa completamente supérflua e desnecessária.   Temos mãos abertas para gastar em futilidades e vaidades. E mãos fechadas para socorrer quem precisa.

   Cada um doe, conforme decidiu no seu coração, não com tristeza ou a contragosto, pois Deus gosta de quem dá com alegria. Aliás, Deus tem o poder de os encher de toda espécie de graças, de sorte que, tendo sempre e em toda coisa tudo o que precisam, lhes reste algo supérfluo para toda boa obra. É o que diz a Bíblia: Ele espalhou seus benefícios, deu aos pobres; sua justiça permanece para sempre (2Cor 9,7-9).

   Ajuda-nos, Senhor: A repartir o que está acumulado. A desconcentrar a renda. A varrer a injustiça. — A criar solidariedade.  A construir cidadania.

 

Outros artigos