A CAPA DE FRIO DE GERALDINHO
Seg, 19 de Novembro de 2018 14:44

São Geraldo (1726-1755) sonhava desde criança servir a Deus na vida religiosa. Mas onde? Como? Lembrou-se de que tinha um tio, Frei Boaventura, pertencente à Ordem dos Frades Capuchinhos. Poderia falar com ele. Seu convento ficava em São Mena. Era um pouco longe, mas não havia outra chance. Pediu licença à sua mãe, pôs um pedaço de pão na sacola e saiu.Após caminhar muitas léguas, chegou finalmente ao convento dos frades. Falou com seu tio. Ambos foram falar com o Padre Guardião. Insistiu. Suplicou. Mas não foi aceito, devido à sua saúde fraca.Seu tio, vendo-o tremendo de frio, deu-lhe um capote. Pensava com isso suavizar a negativa e agasalhar melhor seu corpo franzino.

Não era isso que Geraldo queria. Agradeceu chorando e pegou o caminho de volta. Tinha dado alguns passos quando um mendigo à beira da estrada pediu-lhe uma esmola. Geraldo não tinha nada, apenas aquele capote. Macio, bonito, quentinho. Não hesitou um instante. Tirou-o num ímpeto e vestiu com ele o pobrezinho de Deus.

 

Outros artigos