MORREU O BISPO DO SEMI-ARIDO
Dom, 09 de Setembro de 2012 19:29
D. José Rodrigues de Sousa, bispo emérito de Juazeiro da Bahia, faleceu na madrugada do dia 9 de Setembro no hospital Santa Mônica, altem Goiânia. Seu corpo está sendo transladado para Juazeiro, onde trabalhou incansavelmente  quase 30 anos na defesa dos direitos do povo.
 Quando D. José Rodrigues de Sousa chegou a Juazeiro como bispo em 1975, a barragem de Sobradinho estava em construção. Os engenheiros acharam necessário retirar cerca de 72000 pessoas de várias cidades porque a região seria alagada. Daí advieram muitos descontentamentos e mesmo soluções precárias. Dom José assumiu a sorte dos deslocados. Para isso escreveu artigos nos jornais, deu entrevistas, foi às Câmaras e ás emissoras, conseguindo soluções, pelo menos, satisfatórias. 
Enfrentou outros desafios criando pastorais populares, entre elas:
 
- Pastoral da terra, da criança, da juventude do meio popular, da mulher  marginalizada, da saúde, dos pescadores, da carcerária.
 
- Criou o Setor Diocesano da Comunicação Audiovisual, com uma Biblioteca com 45.000 volumes, equipamentos de produção de rádio e televisão, jornalismo impresso, uma locadora com 2.000 títulos de vídeos para escolas e professores além de 3 programas de rádio semanais.
- Foi o criador do projeto cisternas caseiras para armazenar água de chuva.
Recebeu diversos troféus, inclusive a Medalha Chico Mendes, como reconhecimento de suas lutas em favor da justiça e da paz.
 
Dom José nasceu no Estado do Rio de Janeiro, em 1926. Foi professor de português no Seminário de Aparecida (SP), e entre 1966 e 1968 fez o Curso de Especialização em Catequese e Pastoral em Bruxelas. Voltando ao Brasil, trabalhou nas Missões em São Paulo, Minas, Paraná e Amazonas. Em 1970 foi eleito Superior dos Redentoristas de Goiás e Distrito Federal.
 
Foi sempre de grande simplicidade e espírito de pobreza. Normalmente só viajava de ônibus. Quando deixou Juazeiro aos 75 anos, sua mudança coube numa simples mala. Na celebração de despedida afirmou na catedral: “nunca traí os pobres, nem em época de eleição”. Na foto (reprodução): Dom José num de seus discursos inflamados.

 

Outros artigos