NOVENA A SÃO PIO DE PIETRELCINA
Qui, 24 de Janeiro de 2013 05:36
 
> INTRODUÇÃO PARA TODOS OS DIAS DA NOVENA
 Abri, Senhor, os meus lábios... E cantarei o vosso louvor
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, Como era no princípio, agora e sempre. Amem
Oração: Ó Deus e Pai, que instruístes os corações de vossos fieis com a luz do Espírito Santo; fazei que, apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito, e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo Senhor nosso. Amém - (Ir para o tema do dia)
 
> ENCERRAMENTO PARA TODOS OS DIAS DA NOVENA
 
 Ó Deus e Pai, que a São Pio de Pietrelcina, sacerdote capuchinho, concedestes o privilegio de participar de modo admirável da Paixão de vosso Filho,
concedei-me por sua intercessão, a graça que ardentemente desejo (mencione mentalmente suas intenções).
Mas sobretudo, dai-me a graça de encarnar em mim a Paixão do vosso Filho, para depois participar da glória da ressurreição. Assim seja!
Pai nosso... Ave Maria... Glória ao Pai...
 
1º DIA -  NASCIMENTO E INFÂNCIA
 
Padre Pio nasceu dia 25 de maio de 1887 na cidadezinha italiana de Pietrelcina, e foi batizado no dia seguinte, recebendo o nome de Francisco em homenagem ao “pobrezinho” de Assis, São Francisco. Seus pais, Grazio Forgione e Maria José, eram de condição humilde e cultivavam um pequeno sítio, de onde tiravam o necessário para seu sustento. Tiveram mais quatro filhos. Uma das filhas tornou-se freira.
Francisquinho ajudava os pais cuidando do rebanho de ovelhas. Tinha um gênio tranqüilo de menino da roça. Gostava de recolher-se num canto para rezar e meditar.
- Vá brincar com seus companheiros – dizia-lhe a mãe.
Ele se esquivava “porque diziam palavrões”.
 
Pensamento: Meu filho, lembre-se que você tem no Céu não somente um Pai, mas também uma Mãe" (Padre Pio de Pietrelcina).
  
2º DIA - VOCAÇÃO E MISSÃO
 
Quando tinha 15 anos, pediu para ser frade capuchinho. Um dos motivos, como ele mesmo disse gracejando, era porque os capuchinhos usavam barba. Segundo o costume da época, era preciso mudar o nome. Escolheu ‘Frei Pio” porque admirava o papa São Pio V, grande defensor da Igreja.
Ordenou-se sacerdote aos 23 anos. Passou algum tempo com os pais para tratamento, pois estava muito fraco devido aos jejuns e penitencias que fazia.
Veio a I guerra mundial. A Europa e o mundo inteiro estavam convulsionados. Frei Pio solidarizou-se com o povo que sofria os terrores da guerra. Ele mesmo foi convocado para servir a pátria. Nessa época conturbada teve os primeiros estigmas. Sua missão de missionário do sofrimento e do pastoreio intenso estava começando.
 
Pensamento: Não descansarei enquanto souber que alguém está precisando de mim (Padre Pio de Pietrelcina).
 
 
3º DIA - MISSÃO E DOAÇÃO
 
Deus pediu tarefas pesadas para o Padre Pio:
- O sofrimento que o acompanhou a vida toda. Desde pequeno foi de saúde muito frágil. Embora doentio, submetia-se a duras penitências.
- Foi mal interpretado, submetido a exames humilhantes, caluniado e até proibido de celebrar missa para os fiéis.
- Ficava no confessionário de dez a catorze horas por dia, atendendo pessoas de perto e de longe, ansiosas por ouvir uma palavra de alento. “Por incrível que pareça, o que mais atraía os fiéis, era sua severidade e intransigência”. Não obstante isso tudo, era a bondade personificada.
 
Pensamento: "Se eu soubesse que alguém que está aflito, seja na alma ou no corpo, faria tudo para vê-lo livre dos seus males! Eu renunciaria até aos meus pobres merecimentos em favor dele para vê-lo libertado" (Padre Pio de Pietrelcina).
 
4º DIA - A MISSA DO PADRE PIO
 
O ponto máximo da sua intimidade com Deus era a Santa Missa. Nesses momentos parecia estar vivendo e revivendo a vida, paixão, morte e ressurreição de Jesus. Ele o amava tanto que mereceu sentir em si mesmo as dores e consolações dos seus estigmas.
Tanto é verdade que se perdia em Deus, entrando freqüentemente em êxtase. Sua missa se prolongava tanto que passava de hora e meia.  Chegou a pedir ao coroinha que batesse a campainha para o despertar de tais contemplações extáticas e assim poder continuar a celebração.
- Padre Pio passava longas horas em adoração diante de Jesus sacramentado. Levantava-se  por volta das 3:30 da madrugada para iniciar a preparação para a santa missa que celebrava às 5:00 horas da manhã.
 
Pensamento: "A Santa Missa é o sacrifício que detém a justiça Divina, que rege toda a Igreja, que salva o mundo" (Padre Pio de Pietrelcina).
 
5º DIA - O ESTIGMATIZADO
 
São Pio foi agraciado por Deus com chagas na palma das mãos, nos pés e no lado, à semelhança das chagas de Jesus. Por um lado eram sinal de predileção divina, mas por outro lado produziam dores intoleráveis. Ele as cobria com luvas e meias de pano grosso para não chamar a atenção, evitando também que o sangue ficasse visível. Essas feridas não arrinavam, não gangrenavam, não se inflamavam, mas também não se fechavam nem desapareciam. Esse fenômeno perdurou durante cerca de cinqüenta anos, portanto, até a sua morte.
Foi submetido à humilhação de numerosos exames médicos, constatando-se que esses fenômenos jamais teriam sido provocados por artimanhas humanas, como se propalou.
 
Pensamento: "O sofrimento é para todos. O saber sofrer é para poucos!" (Padre Pio de Pietrelcina).
 
6º DIA - OUTROS DONS E CARISMAS
 
Vamos apenas enumerar alguns dos muitos dons e carismas com que Padre Pio foi agraciado:
- O sangue das chagas do Padre Pio, ao invés de produzir mau odor, exalava um suave perfume que aromatizava o ambiente e se expandia para bem longe.
- Bilocou-se muitas vezes, isto é, esteve presente em dois lugares ao mesmo tempo, sempre para fins de evangelização.
- Como confessor, perscrutava os corações, contando os problemas do penitente antes que ele os revelasse. Para outros ajudava a lembrar os pecados, como quem “vai tirando as castanhas do fogo”.
- Se, prever o futuro, faz parte do profetismo, pode-se dizer que Padre Pio foi profeta também, principalmente no tempo das guerras presenciadas por ele.
- Como exorcista viu-se em luta renhida com os maus espíritos.
- Como taumaturgo, quantas curas conseguiu e consegue de Deus com sua intercessão.
 
Pensamento: "Lembre-se de que não se ganha nenhuma batalha sem a oração. Se quer sair vitorioso, reze!" (Padre Pio de Pietrelcina).
 
7º DIA - NOSSA SENHORA E O PADRE PIO
 
Foram dois corações inseparáveis. Desde menino, Padre Pio teve um carinho especial para com a Mãe de Jesus. Vivia repetindo o que escreveu no frontispício de sua cela conventual: “Maria é toda a razão da minha esperança”. Quando alguém vinha pedir uma ajuda espiritual ou material, respondia: “Vamos falar com a Madona...”.
Padre Pio deve a ela o prolongamento da sua vida por alguns bons anos. Como foi isso? Ele estava gravemente enfermo e quase às portas da morte quando Nossa Senhora de Fátima veio visitar San Giovanni Rotondo. Ao passar por cima dele, pois ela estava de helicóptero, ele pediu suplicante: “Assim, vais embora sem me dar uma bênção?” Nesse instante sentiu-se completamente curado.
 
Pensamento: "Há pessoas tão presumidas, que pensam poder passar a vida sem o auxílio de Nossa Senhora!" (Padre Pio de Pietrelcina).
 
8º DIA - O HOSPITAL: SÍNTESE DE UMA VIDA DE DOAÇÃO
 
Pode-se dizer, sem exagero, que o Padre Pio resumiu, materializou e concretizou tudo o que ensinou, tudo o que fez, enfim, toda a sua vida na construção do hospital “Alivio do sofrimento”. Do ponto de vista humano, este sonho parecia irrealizável. Primeiro pela falta de recursos financeiros, e depois, pelas dificuldades técnicas, pois San Giovanni Rotondo era cidadezinha do interior. Não obstante isso foi levantado um prédio de cinco andares com capacidade para mi leitos, com a mais moderna aparelhagem cirúrgica, com trezentas mil consultas por ano, gratuitas em sua maioria. Este hospital tornou-se referência em toda a Europa.

Pensamento: "É pela caridade com o próximo que seremos julgados!" (Padre Pio de Pietrelcina).
 
 
9º DIA - MORTE SANTA E GLORIFICAÇÃO
 
No dia 22 de setembro de 1968 Padre Pio celebrou sua última missa na terra. No dia seguinte morreu exclamando: “Jesus! Maria! Jesus! Maria!” Mais de cem mil pessoas participaram dos funerais. Logo no dia seguinte começaram a chegar numerosas peregrinações ao seu túmulo.
No ano 2002 foi canonizado solenemente pelo Papa João Paulo II, na presença de 250 mil pessoas. Por que foi canonizado? Paulo VI responde:
«Olhai a fama que alcançou, quantos devotos do mundo inteiro se reúnem ao seu redor! Mas por que? Por ser talvez um filósofo? Por ser um sábio? Por ter muito dinheiro à sua disposição? Não! Porque celebrava a Missa humildemente, confessava de manhã até à noite, e era – como dizê-lo?! – a imagem impressa dos estigmas de Nosso Senhor. Era um homem de oração e de sofrimento».
 
Pensamento: "Maria seja a estrela, que vos mostre o caminho seguro que leva ao Pai Celeste. Seja a ancora de salvação na qual deveis agarrar-vos no momento da tentação" (Padre Pio de Pietrelcina).
 
 

Outros artigos

Animação

http://boletimpadrepelagio.org/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/233996o_sorriso.png http://boletimpadrepelagio.org/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/950871smpre_no_cora____o.png http://boletimpadrepelagio.org/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/382426pelagio.png http://boletimpadrepelagio.org/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/343594test1.png http://boletimpadrepelagio.org/components/com_gk2_photoslide/images/thumbm/384004test.png